Locação de equipamentos passa por momento de adequação ao mercado

Debate sobre o segmento ocorreu no Sobratema Summit

Por Semana das Tecnologias Integradas 09/06/2017 - 08:38 hs

Durante debate no 5º Congresso Nacional: Valorização do Rental, realizado no Sobratema Summit, durante a Semana das Tecnologias Integradas para Construção, Meio Ambiente e Equipamentos, que termina nesta sexta-feira (9) em são Paulo, o diretor da Spirale Consult, Paulo Esteves, afirma que existe oportunidades na crise. Envolvido em projetos de desenvolvimento de mercado, reestruturação de empresas, startups e consolidação de mercado, Esteves acredita que esse é o momento das empresas se adequarem aos níveis de utilização abaixo de 70%, de diversificar seu portfólio, vencer dificuldades logísticas e se ajustarem ao mercado. “Ao sair da crise, as empresas brasileiras irão demandar mais por locação de máquinas pois sairão menores do que entrarem e com suas frotas defasadas”, acredita. 

O evento, realizado pela Analoc (Associação Brasileira dos Sindicatos e Associações Representantes dos Locadores de Máquinas, Equipamentos e Ferramentas), busca novos caminhos para fortalecimento do mercado de locação. “O setor teve um crescimento sem precedentes entre 2008 e 2014 com a alta da demanda devido às obras do PAC (Programa de Aceleração do Crescimento), dos investimentos em óleo e gás, da Copa da Fifa, das Olimpíadas e dos projetos de mobilidade urbana”, lembra Esteves. 

Mas a situação sofreu um revés nos últimos dois anos e enfrentam problemas operacionais, com poucas perspectivas de aumento de demanda a curto prazo devido às incertezas econômicas e políticas. “Existe outro fator que é o mercado hoje ter obras de pequeno porte, de reformas, com os investimentos grandes sendo adiados. Isso mudou o perfil da demanda que pede máquinas menores, enquanto as locadoras detém frotas de máquinas grandes”, explica Esteves. 

Para Marco Aurélio, vice presidente da Analoc, o quadro atual exige mudanças na gestão das empresas, com busca de novos mercados, e da aproximação dos concorrentes para a troca de informações, compartilhamento de estoques e otimização de custos no setor. “No momento de crise, a união é o que importa”, disse durante palestra. “É preciso também ter em mente que as empresas estão trabalhando com rentabilidade negativa e lutam para conseguir lucratividade.” Para Aurélio é o momento de passar pente fino nos negócios e identificar onde é possível cortar para reduzir os custos. “Fazer um plano de contingência que assegure a lucratividade e possibilite ter rentabilidade ao longo tempo”. 

Já o presidente da Sobratema, Afonso Mamede, se mostrou um pouco mais otimista. Na sua opinião, o país está em uma situação melhor que há um ano, embora ainda longe do ideal. “No ano passado, vivíamos uma esculhambação econômica e turbulências políticas. Hoje, as turbulências políticas continuam, mas vimos mudanças importantes na economia. “Temos um longo caminho de recuperação, mas já é possível perceber que ela virá, mas para isso, temos que buscar a união e o fortalecimento do setor”. 


Semana das Tecnologias Integradas para Construção, Meio Ambiente e Equipamentos

Eventos: BW Expo, Construction Expo, M&T Peças e Serviços e Sobratema Summit

Data: 7 a 9 de junho de 2017

Local: São Paulo Expo Exhibition & Convention Center – Rodovia dos Imigrantes, km 1,5

Horário: das 9h às 18h

http://www.sobratema.org.br